Reportagens de 2013 comprovam que TCE apontou atraso e diversas irregularidades

Segundo Antonio Joaquim, as matérias evidenciam que Silval, a Secopa e parte da imprensa colocaram em dúvida os relatórios que a “história provou estarem corretos"

Da Redação

 

O conselheiro afastado Antonio Joaquim publicou em seu canal do YouTube um conjunto de reportagens televisivas de 2013 para corroborar o que disse na coletiva à imprensa dada há poucas semanas: Que os relatórios divulgados enquanto era relator das obras da Copa não eram seus, mas sim da área técnica do Tribunal de Contas, e que tais relatórios foram questionados tanto pelo governo quanto pela imprensa local.

 

 

“Dos onze relatórios que existem no Tribunal sobre obras da Copa, sete são meus. Esses sete foram 100% técnicos, não acrescentei uma vírgula. E esses sete foram questionados pelo governo e pela mídia. Veja que a história confirmou a realidade dos relatórios, tanto que até hoje tem uma dezena de obras da Copa inacabadas”, declarou Antonio Joaquim aos jornalistas na ocasião, rebatendo as acusações do ex-governador.

 

 

Na referida coletiva, o conselheiro afastado citou nominalmente os servidores da Corte de Contas responsáveis pelos relatórios, e salientou que as declarações de Silval – a quem chamou de “gangster” e “ladrão confesso” – exigem também providências dos técnicos e auditores que assinaram os relatórios, e de seus sindicatos. Referindo-se aos demais conselheiros, Antonio Joaquim salientou que não fala “em nome de ninguém”.

 


  

Afastado com base em depoimentos de Silval, o conselheiro já disse não ser contra o instituto da delação, desde que haja materialidade e não apenas a palavra do delator. Ele também já manifestou reiteradas vezes sobre estar afastado há meses sem sequer ser denunciado, enquanto contra outros citados pelo ex-governador não teria havido qualquer atitude do MPF - a exemplo de Pedro Taques, também citado na delação.

 


Fonte: Portal Mato Grosso

Visite o website: wwww.portalmatogrosso.com.br